Car@s amig@s,

 Betinho Duarte

Estou vivenciando um dos melhores e mais impactantes momentos dos últimos tempos.

Passei dez dias em Cuba(20 de novembro a 1° de dezembro de 2014). Fui participar do Projeto Marcas da Memória em Cuba – 50 Anos do Golpe Militar, organizado pelo Ministério de Cultura de Cuba, Ministério da Justiça do Brasil e Rede em Defesa da Humanidade.

No dia 21 de novembro assisti a um show de Jorge Mautner e Bem Gil no Teatro do Museu de Belas Artes.

Jorge Mautner é simplesmente fantástico. Conversamos muito até porque estava sendo feito um documentário sobre ele e participei como “assistente” de produção.

 

Os filmes foram:

  • Militares da Democracia – Dir: Sílvio Tender
  • Advogados contra a ditadura – Dir: Sílvio Tender
  • Eu me lembro – Dir: Luiz Fernando Lobo
  • 500. Os bebês sequestrados pela ditadura – Dir: Alexandre Valenti.
  • Duas Histórias – Dir: Angela Zoe
  • Repare Bem  – Dir: Maria de Medeiros
  • O Dia Que Durou 21 Anos –Dir: Camilo Tavares
  • Nossas Histórias  – Dir: Angela Zoe
  • Setenta  – Dir: Emília Silveira.

 

No dia 6 de dezembro de 2014, convidado por Rose Nogueira, participei de vários eventos em São Paulo:

 

I – Posse da nova Diretoria do Grupo Tortura Nunca Mais de São Paulo;

 

II – Balanço das Comissões e Comitês da Verdade de São Paulo;

 

III – Entrega do Relatório do GT dos Sindicalistas à Comissão Nacional da Verdade, representada na oportunidade pela Dra. Rosa Cardoso;

IV – Inauguração do Monumento em Homenagem aos Mortos e Desaparecidos Políticos pela Prefeitura Municipal de São Paulo, no Parque Ibirapuera, Portão 10.

 

No dia 9 participei das solenidade de apresentação do Relatório Preliminar da Covemg, em que sou editor do Relatório sobre Atentados Terroristas.

 

Quando cheguei em casa às 23:00 horas, havia um recado na secretária eletrônica, da minha amiga Oroslinda Taranto Goulart, Chefe de Gabinete da Ministra Eleonora Menicucci, me convidando para participar das cerimônias no Palácio do Planalto, para a entrega do Relatório  Final da Comissão Nacional da Verdade à Presidenta Dilma.

                

Durante a madrugada consegui comprar uma passagem para Brasília que permitisse chegar no horário marcado.

 

Foi um ato impactante e emocionante.

Na oportunidade, pela primeira vez tirei um retrato com a Dilma. Na década de 60  fui colega dela na Faculdade de Ciências Econômicas na UFMG. São passados 47 anos, sendo esta a primeira vez que fomos fotografados juntos.

 

Posteriormente, fomos para a sede do Conselho Federal  OAB participar da apresentação do relatório da CNV para  à sociedade civil.

 

Voltei ao Palácio do Planalto para assistir a entrega  do Prêmio Direitos Humanos – 20ª Edição.

Foram agraciados, entre outros: Paulo Freire (em memória), Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha, Aranha (goleiro do Santos F.C.), Clara Charf( viúva de Carlos Marighella) e Ivan seixas.

 

Na quinta-feira, 11/12/2014, houve a apresentação do Relatório da CNV no Senado. Na oportunidade, fiz 5 propostas, 3 elogios e 1 crítica.

 

Propostas:

I – Criação de um Tribunal Popular Internacional para julgar os crimes da ditadura militar;

 

II – Impressão dos relatórios da Comissão Nacional da Verdade, com o intuito de distribuição nas escolas, faculdades e bibliotecas;

 

III – Participação na campanha internacional solicitando ao Presidente dos Estados Unidos da America, Barack Obama, a libertação dos três heróis cubanos para passarem o natal com suas famílias;

 

IV – Criação de uma FRENTE PELA DEMOCRACIA CONTRA O FASCISMO

 

V – Elaboração de um dossiê sobre corrupção na ditadura militar

 

Elogios : Gilney Vianna, REDE BRASIL Memória , Verdade e Justiça e a CNV.

 

Crítica ao ministro do STF Marco Aurélio Mello que afirmou : “A anistia é uma virada de página”. Não há caminho para alterá-la”.

Ele não tem autoridade política e nem jurídica para proferir tais opiniões. Nenhum brasileiro que eu saiba fez qualquer acordo com os ditadores e torturadores em relação ao projeto da anistia. Continuamos a lutar por uma: ANISTIA AMPLA, GERAL e IRRESTRITA. TORTURA É CRIME DE LESA HUMANIDADE, IMPRESCRÍTIVEL e INAFIANÇAVEL.

 

Finalmente, participei  da reunião do balanço anual da Comissão de Anistia.

 

À noite, como ninguém é de ferro, teve festa na casa da Rosane Cavalheiro Cruz, Coordenadora-Geral do Memorial da Anistia Política do Brasil.

 

 

Já em Belo Horizonte, no dia 12/12/2014, pelo período da tarde, participei da reunião do Comitê Interinstitucional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas do Estado de Minas Gerais – CIETP/MG.

 

Posteriormente, fomos ao escritório do Deputado Federal Nilmário Miranda, entregar uma carta aberta com sugestões sobre o combate ao tráfico de pessoas no Estado de Minas Gerais. Recebemos a excelente notícia que ele será o futuro secretário de Direitos Humanos e Cidadania.

 

Anúncios