5/12/2014

às 14:14 \ Opinião

Reynaldo-BH: ‘O estranho caso de uma empresa que quebrou um país’

REYNALDO ROCHA

O lulopetismo conseguiu outra proeza sem comparativos históricos: usar uma empresa estatal para quebrar um país. A Petrobras seria privatizada por tucanos irresponsáveis, diziam os companheiros. Foi privatizada pela quadrilha do PT. Antes da descoberta do pré-sal, tinha um valor de mercado superior ao atual. Chegou a valer 737 bilhões de reais. Agora, vale 127 bilhões.

A Petrobras hoje não tem crédito em nenhuma birosca financeira. E é a petrolífera mais endividada do mundo. Não terá com honrar encomendas e empréstimos. Os papéis da estatal na Bolsa de Nova York estão sendo “derretidos” por vendas de bilhões, às pressas, pelos investidores. Melhor do que ficar com o mico na gaveta.

Mais: prevê-se que, nos próximos dois anos, a cotação do barril no mercado internacional permaneça na faixa dos U$ 50. O patamar anterior era de U$ 120. (A causa principal é a guerra de preços entre o petróleo dos sheiks e o petróleo do xisto, mas isto é assunto para outro comentário). Só a extração do barril do pré-sal custa U$ 90.

A Petrobras também terá de pagar algumas centenas de milhões de dólares aos investidores americanos que foram enganados. Eles desconheciam o que o PT fez na empresa (e com a empresa).

E nós com isso? Simples. Quebramos juntos.

Qual empresa brasileira (privada ou estatal) terá acesso a financiamentos para a produção depois da descoberta dessa parte podre do país? Se a maior entre todas está falida, se deu garantias eque não cumpriu, se não consegue sequer apresentar um balanço (algo obrigatório no mundo inteiro), o que dizer das outras? Os recursos públicos (infindáveis, na lógica distorcida da seita petista) serão usados para salvar a Petrobras, como sempre aconteceu e continua acontecendo, via BB, CEF e BNDES?

Sinto informar: nossas reservas, que Dilma apresentava como uma prova de sucesso fenomenal, são menores que os buracos. Só conseguirão cobrir o rombo da Petrobras. Os bancos brasileiros estão expostos a riscos ,medidos em bilhões, decorrentes do Petrolão. Se a conta vai ficar no prejuízo do banco, ele tratará de transferir o espeto para quem? É óbvio que não haverá crédito para nenhuma empresa, seja qual for seu tamanho.

A destruição de uma das maiores empresas do mundo é obra do lulopetismo. Na farra do pré-sal, o PT inventou o leilão com um participante só (um consórcio chinês). A seita é a mãe do marco regulatório que obriga a Petrobras a estar em todos os blocos de perfuração do pré-sal, o que afastou investidores pelos quais se interessam todos os países. Agora sabemos por quê.

Quem criticava o marco bolivariano era um sabujo do capitalismo internacional. Bilhões e bilhões, (que estão e estarão por muito tempo) a 4 mil metros da superfície) seriam aplicados em saúde e educação. Foram desperdiçados ou embolsados pelos gatunos.

Era Marina que iria acabar com o pré-sal! Eram Aécio e os malditos tucanoss que planejavam quebrar a Petrobras para privatizá-la. Os cínicos iludiram o povo com o conto da privatização da empresa que já haviam privatizado.

Esperemos que o beco em que se meteu a Petrobras tenha saída. Mas a mentira que o PT repetiu durante anos sobre a gestão FHC agora é real. Com a quebra da Petrobras, o PT quebrou o Brasil. O projeto de poder dos companheiros incluía a política de terra arrasada. Conseguiram.

Quebramos. Feliz 2015?

Anúncios