Publicado em 16/12/2014

A falácia de que as ações
da Petrobras viraram pó

Por que a Dilma não compra em NY ações da PET pelo preço que o FHC vendeu, ou seja, a preço de Vale ?​

Quem teve o dissabor de ler o PiG nessa manhã de terça-feira (16/12) assistiu a um melancólico emprego do que certo lord inglês, professor de Economia, enunciou como a “falácia da composição”: uma propriedade das partes ser aplicada ao todo.

Os notáveis colonistas pigais (ver no ABC do C Af) descreveram o “derretimento” das ações da Petrobras e a queda da Bolsa – o todo da falácia – como resultado da “desenfreada  corrupção” – a parte – que infeccionou irremediavelmente a empresa que eles querem ver dirigida pelo notável Adriano Pires.

É fácil desmontar a falácia.

As Bolsas desabaram no mundo todo.

As ações das empresas petrolíferas desabaram no mundo todo.

A moeda dos países produtores de energia, como o Brasil, caíram no mundo todo: o rublo russo chegou a se desvalorizar 8%.

Como o Real.

O centro do raciocínio falacioso é transferir a Petrobras e o Brasil para o planeta Marte e fazer de conta que a decisão da Arábia Saudita de derrubar os preços do petróleo não atinge o Brasil.

Os falaciosos, tão Colonizados, que não soltam um pum sem consultar os Oráculos Metropolitanos, de repente esquecem os mercados de Londres e Nova York:

http://www.nytimes.com/2014/12/16/business/daily-stock-market-activity.html?ref=business

Anúncios