Além de Maria do Rosário, Bolsonaro também agrediu duas jornalistas

Jornal GGN – O episódio vivenciado pela deputada Maria do Rosário (PT-RS) não foi uma ação isolada de prática de Jair Bolsonaro (PP-RJ) de agressão contra a mulher. O deputado perguntou, da mesma forma, a duas jornalistas se elas mereciam ser estupradas.
O fato ocorreu logo após as declarações contra Maria do Rosário, quando as jornalistas da EBC entrevistaram Bolsonaro sobre as declarações. “Ela [Maria do Rosário] recebeu o catraco que ela mereceu naquele momento”, disse o deputado a uma repórter, que perguntou: “você acha que alguém merecia isso?”. “Não, inclusive… Você merece ser estuprada?”, disse, repetindo a pergunta, com nervosismo: “estou perguntando! Responda!”.
O Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro repudiou a agressão de Bolsonaro, que, de acordo com a entidade, intimidou, desestruturou e prejudicou o livre exercício profissional, afrontando, além da situação de gênero, a liberdade de imprensa.
“Às vésperas dos 20 anos da Conferência Mundial sobre os Direitos Mulher e no mês de aniversário dos 66 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, é inadmissível que um representante do parlamento, em hipótese alguma, estimule práticas de violação de direitos”, disse o Sindicato.
O Sindicato dos Jornalistas irá encaminhar o áudio e a transcrição da entrevista à Comissão de Direitos Humanos e Liberdade de Imprensa da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), para a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, para a Procuradoria-Geral da República (PGR) e para a Comissão de Ética do Congresso Nacional, que já abriu processo contra o deputado por quebra de decoro parlamentar.
A entidade também lembrou que não é a primeira vez que Jair Bolsonaro se dirige de maneira depreciativa a mulheres jornalistas. Em abril deste ano, ao ser questionado sobre a ditadura no país, o deputado chamou uma repórter da Rede TV de “idiota” e “analfabeta”.
Leia a nota, na íntegra, do Sindicato dos Jornalistas do Rio de Janeiro, aqui.
Anúncios