Copiado do Nassif

O insulto e o deboche não podem ser naturalizados, diz Papa Francisco

Jornal GGN – A bordo do avião, o Papa Francisco deu uma entrevista informal aos jornalistas ali reunidos. Ele disse que existem limites à liberdade de expressão ‘quando as crenças dos demais estão envolvidas’. Ele condena o ataque ao Charlie Hebdo, em Paris, mas pontuou que o insulto e o deboche não ‘podem ser naturalizados’. ‘Matar em nome de Deus é uma aberração, mas a liberdade de expressão não dá direito de insultar a fé do próximo”. Leia a matéria de O Globo.

de O Globo

Papa Francisco: ‘Liberdade de expressão não dá direito de insultar a fé do próximo’

Em viagem pela Ásia, pontífice condena mortes em nome da religião, mas alerta para limites do discurso

POR O GLOBO COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

MANILA – Em visita a países asiáticos, o Papa Francisco disse a jornalistas a bordo do avião papal que existem limites à liberdade de expressão quando as crenças dos demais estão envolvidas. Apesar de condenar severamente o ataque ao ‘Charlie Hebdo’, em Paris, o pontífice afirmou que o insulto e o deboche não podem ser naturalizados.

— Matar em nome de Deus é uma aberração, mas a liberdade de expressão não dá direito de insultar a fé do próximo — disse. — Acredito que tanto a liberdade religiosa quanto a de expressão são direitos humanos fundamentais. Todos têm não apenas o direito, mas a obrigação de dizerem o que pensam pelo bem comum. Podemos fazer isto sem ofender. Se, meu bom amigo, o doutor (Alberto) Gasparri (assessor que organiza as viagens papais), xingar minha mãe, pode esperar que levará um soco. É normal. Mas você não pode provocar, insultar a fé dos outros, fazer zombaria.

Pontífice e jornalistas se dirigiam do Sri Lanka às Filipinas na viagem, e a questão da intolerância religiosa foi um dos temas principais na entrevista informal. Ele também falou de questões climáticas, em vista da Cúpula de Paris, mas o tema predominante foi a religião e seus conflitos.

— Consideremos nossa própria história. De quantas guerras religiosas a Igreja Católica participou? Até nós fomos pecadores — avaliou.

O Papa ainda descartou temer um ataque a sua própria vida.

— Estou nas mãos de Deus — brincou. — Se tenho medo? Vocês sabem que tenho o defeito de ser descuidado. Se algo acontecer comigo, avisei ao Senhor apenas que não doa, porque perco a coragem diante da dor.

Tags

Anúncios